terça-feira, 4 de agosto de 2015

Em biografia, Andressa Urach conta que foi prostituta e atendia líderes religiosos e artistas


A modelo e apresentadora Andressa Urach afirmou que era uma das garotas de programa mais caras do país, que que atendia pessoas conhecidas nacionalmente, incluindo líderes religiosos.

A afirmação foi feita em uma publicação no Instagram, na última sexta-feira, 31 de julho, quando Urach apresentou a capa do livro com sua biografia, “Morri Para Viver”, que será lançado pela editora Planeta até o fim desse mês.

O livro com os relatos da vida de Andressa Urach foi escrito pelo jornalista Douglas Tavolaro, vice-presidente da TV Record e responsável pela trilogia “Nada a Perder”, do bispo Edir Macedo.

De acordo com Urach, o livro contará como ela “se tornou uma das prostitutas mais caras e desejadas do país” e seus “casos secretos com clientes ricos e famosos”, que formam uma lista de “empresários milionários, cantores, jogadores de futebol, artistas, bandidos e religiosos”.

Ímola era o “nome de guerra” usado por ela quando era prostituta, segundo a sinopse do livro. O texto contará ainda os detalhes das “noitadas” e “festas particulares” que frequentava, além do uso de drogas, o vício nas cirurgias plásticas e “como se inventa a fama no universo das celebridades”.


Na rede social, Andressa Urach – que se converteu à Igreja Universal do Reino de Deus após ficar internada com infecções nas pernas devido ao uso de próteses – disse que a decisão de relatar suas experiências não foi fácil: “Confesso que foi preciso coragem para contar tudo. Venci a vergonha de um passado sujo para tentar estender a mão para quem se considera em um beco sem saída”, escreveu.

Atualmente, Urach é funcionária da TV Record e adotou um novo figurino, além de afirmar que considerava seu estilo de vida antigo “vulgar”.

Total de visualizações de página