sábado, 31 de janeiro de 2015

Concurso: Prefeitura de Natal divulga edital com 386 vagas para professor


A Prefeitura Municipal do Natal divulgou no Diário Oficial  o edital para o concurso público destinado ao preenchimento de 386 vagas nos cargos de Educador Infantil e Professor N-1 e N-2. Os salários variam de R$ 2.006,75 (Educador Infantil) a R$ 1.815,72 (demais cargos).

As vagas estão distribuídas da seguinte forma: Educador Infantil (80), Professor de Artes/Dança (5), Professor de Artes/Música (5), Professor de Artes/Teatro (5), Professor de Artes/Visuais (5), Professor de Ciências (5), Professor de Educação Física (9), Professor de Ensino Religioso (9), Professor de Geografia (5), Professor de História (6), Professor de Libras (5), Professor de Língua Estrangeira (Inglês) (6), Professor de Língua Portuguesa (16), Professor de Matemática (10), Professor do Ensino Fundamental – Anos Iniciais (1º ao 5º anos) (200), Professor Tradutor-Intérprete de Libras (15).

A inscrição dos candidatos deverá ser feita exclusivamente pela internet das 8h do dia 10 de fevereiro até às 23h59 do dia 16 março no site www.comperve.ufrn.br. A taxa de inscrição será no valor R$ 80,00. A aplicação das provas está prevista para o dia 26 de abril em Natal. O local de realização das provas será divulgado no sítio da COMPERVE, a partir do dia 17 de abril de 2015.


Acesse o edital com concurso Diário Oficial do Município (http://portal.natal.rn.gov.br/_anexos/publicacao/dom/dom_20150130.pdf)

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Prefeitura de Parnamirim publica edital de concurso para professor e agente administrativo


A Prefeitura de Parnamirim publicou no Diário Oficial do Município desta sexta-feira (30), o edital do concurso público para o preenchimento de 424 vagas em seu quadro de pessoal, das quais 301 são destinadas a professor do ensino básico e 102 para agente administrativo. O concurso será feito pela Comperve, órgão responsável durante décadas pela elaboração das provas e coordenação do vestibular da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

A taxa varia de R$ 60 para nível médio a R$ 80 para os cargos de nível superior, com isenção para quem trabalhou para a Justiça Eleitoral por, no mínimo, duas eleições consecutivas ou não (cada turno é considerado uma eleição). As inscrições poderão ser feitas no período de 13 de fevereiro a 09 de março, exclusivamente pela internet. O pedido de isenção deve ser formalizado diretamente na sede da Comperve, no Campus da UFRN em Natal. As provas serão aplicadas no dia 12 de abril. 

O processo consistirá na realização de provas de conhecimentos básicos e específicos, mediante aplicação de provas objetivas, de caráter eliminatório e classificatório, e de prova de títulos para os cargos de professor e de instrutor de libras, informa o edital.

Das 301 vagas destinadas ao magistério, 73 são para professor do ensino fundamental, com Licenciatura Plena em Pedagogia ou Curso Normal Superior; outras 71 para o ensino infantil. As demais são em especialidades como educação física, matemática, inglês, geografia, religião, artes etc. O concurso oferece ainda vagas para instrutor de libras (8) e intérprete de libras (12), além de 1 para bibliotecário. Para os cargos de professor, a remuneração básica, a valores de hoje, é de R$ 1.803,11; a de agente administrativo de R$ 788 e a de intérprete de libras R$ 951,65.

A comissão supervisora do concurso trabalha com a estimativa de 25 mil inscrições. Como a estrutura local – prédios públicos, transportes etc.- não comporta esse volume de pessoas num mesmo dia e hora, os candidatos poderão optar por fazer a prova em Parnamirim ou em Natal. Esta opção ele apontará na hora da inscrição.


Este é o segundo concurso para reforçar o quadro de professores de Parnamirim e o segundo de agente administrativo. O primeiro para professor foi realizado em 2009. O concurso de 2015 tem validade de dois anos, a partir da homologação do resultado, podendo ser prorrogado por mais dois a critério da administração. Em 2009, o edital previa 300 vagas, mas foram convocados mais de 700 aprovados.

Fonte:http://tribunadonorte.com.br/

Rodrigo Santoro é convidado para interpretar Jesus Cristo: “Responsabilidade do tamanho do mundo”


Cotado para interpretar Jesus Cristo na refilmagem do clássico “Ben Hur”, o ator Rodrigo Santoro concedeu entrevista e afirmou que se for confirmado no papel, terá uma enorme responsabilidade sobre si.

“Eu acho que é uma responsabilidade do tamanho do mundo. Literalmente. É um personagem com um arquétipo fortíssimo. É um remake do clássico, então a história não é centrada no Jesus. Mas só a possibilidade de vivenciar e tentar compreender um pouco o que ele passou já é uma experiência”, afirmou Santoro, segundo informações do Adoro Cinema.

O ator disse ainda que foi escolhido para o papel, mas o acerto com os produtores ainda não foi feito pois há a possibilidade de conflito de agenda, devido a outros compromissos profissionais: “Foi feito o convite. O que está acontecendo é que eu já estava contratado para fazer a série Westworld, para a HBO. Então, as duas produções estão num exercício para verificar as questões das datas, para ver se não vai haver conflito. Ainda não tenho uma confirmação sobre isso”, resumiu.


“Ben Hur” (1959) é tido pelos críticos de cinema como um dos clássicos da sétima arte, e de acordo com a sinopse disponível na Wikipedia, a história “se passa na época de Jesus Cristo, e conta a vida de um judeu rico de grande influência (Judah Ben-Hur), que é traído por seu amigo romano (Messala), e é então escravizado. Ele luta pela liberdade e volta para conseguir a vingança”.

Rodrigo Santoro, que ficou conhecido no Brasil por seus papéis em novelas da TV Globo, iniciou sua carreira em Hollywood há pelo menos 14 anos, e vem colecionando pequenos papéis nas produções do cinema norte-americano. Seu papel de maior destaque foi o rei persa Xerxes, nos filmes “300” e “300: A Ascensão do Império”.

Fonte:http://noticias.gospelmais.com.br/

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Lobby LGBT destruiu educação no Brasil

Pedagoga e pastora Damares Alves 
Em palestra realizada em dezembro de 2014 em Arujá , na Grande São Paulo, a advogada, pedagoga e pastora Damares Alves trouxe novas e impressionantes informações sobre o brutal aparelhamento da educação brasileira pelo movimento LGBT.
“Eu posso fazer nas escolas um grande trabalho de combate ao preconceito sem agredir a identidade biológica das nossas crianças e sem destruir a imagem da família. Mas isso não está acontecendo no Brasil. Aqui está havendo uma verdadeira guerra contra a família”, denunciou.
A pedagoga denunciou o conteúdo de cartilhas pedagógicas de todo o Brasil que abordam a temática sexual nas escolas de forma explícita até para alunos do ensino fundamental.
É um material recheado de notórios incentivos à masturbação, iniciação sexual precoce e experimentação de comportamento bissexual. Algumas cartilhas, de tão explícitas, se tornaram alvo de denúncias dos pais e ganharam reportagens na TV.
A pedagoga também relatou o caso de um pai de Bauru, em São Paulo, que foi olhar o material pedagógico da filha de 12 anos, cursando o sexto ano, e ficou abismado com dever de casa que o livro propunha para a sua filha.
O dever de casa era o seguinte: o aluno era orientado a passar o fim de semana beijando três meninos e três meninas. O tema da redação seria, então, a descrição das sensações vivenciadas durante essas experiências.
“Isso não é combate a homofobia. Não estão respeitando a identidade biológica das nossas crianças. Posso falar de preconceito contra homossexuais sem levar para as escolas, por exemplo, uma cartilha que mostra quatro homens transando. Posso combater o preconceito sem levar isso para crianças entre 10 e 13 anos de idade”, denunciou Damares.
Narrou ainda o episódio vivido por uma professora que – por razões profissionais – não pode ser identificada. Ela flagrou um aluno de apenas 03 anos fazendo sexo oral em um colega. A professora levou o caso à direção e, para sua surpresa, foi orientada a não intervir.
“A diretora daquela escola, seguindo o padrão imposto na educação brasileira, disse para a professora que aquilo era uma demonstração homoafetiva. E, se ela impedisse, poderia ser vista como homofóbica. Mas e se o caso envolvesse um menino e menina? Será que, neste caso, a diretoria não diria que é cedo demais pra isso?”, questionou Damares.

Menina esperta

Damares citou a existência do “Plano Nacional de Cidadania LGBT”, uma diretriz do governo federal, que traz no seu primeiro “eixo estratégico” o objetivo de “estimular materiais didáticos e paradidáticos sobre diversidade sexual”.
São muitos os caminhos que o movimento LGBT tem percorrido, sem alarde, para levar sua agenda ideológica para as escolas. E os resultados, muitas vezes, chocam os professores e demais profissionais que recebem esse material pedagógico.
“Sempre cito o caso da cartilha chamada ‘Meninas espertas vivem melhor’. Nela, ensina-se que meninas não precisam de homens porque podem se masturbar sozinhas. A cartilha vem com um espelhinho pra menina chegar em casa e olhar a própria vagina. E assim ela aprende a se masturbar. Isso foi feito com verba pública”, declarou Damares.
“Essa tem sido a tônica dos materiais que estão chegando nas escolas do Brasil. Não é combate a homofobia. Estão desrespeitando a identidade biológica das nossas crianças e usando verbas públicas para destruir essa geração”, completou.
Todas as informações constam no vídeo da palestra, obtido de forma exclusiva pelo Gospel Prime, “Educação: Missão da Família ou do Estado?”, que Damares Alves realizou em Arujá, para promover ali o projeto de lei do movimento Escola Sem Partido, que busca uma educação sem aparelhamento ideológico.
Assista:

Selfie é pecado para o Islã

Com 210 milhões de habitantes e 90% da população adepta do islamismo, a Indonésia é considerada a maior nação muçulmana do planeta. Por isso, quando um importante líder religioso fala, as pessoas param para ouvir.
“Arrogante, suja e sem vergonha”. Esta é a definição de uma mulher muçulmana que se deixa levar pelo “pecado” das selfies. Foi o que afirmou o clérigo muçulmano Felix Siauw. Para ele, as selfies devem ser “proibidas, especialmente para as mulheres”.
“Por estes dias, muitas mulheres muçulmanas têm tirado selfies sem vergonha. Aquelas poses faciais […] Meu Deus, onde está a pureza da mulher?” O autorretrato, ou selfie na gíria em inglês, é comum nas redes sociais. Porém, Siau acredita que essa sede de “protagonismo” e “ostentação” leva as mulheres a caírem no “pior pecado de todos: a arrogância”.
Curiosamente, Siauw recorreu ao Twitter, onde tem mais de um milhão de seguidores, para decretar sua fatwa (decreto religioso). Obviamente, a opinião do clérigo dividiu os muçulmanos de seu país. Enquanto muita gente concordou, uma inundação de posts nas redes sociais passaram a exibir a hashtag #selfie4siauw.
Seus utilizadores postaram centenas de selfies, provocando o líder. Muitos questionaram ainda se ele iria contra o próprio presidente da Indonésia, Joko Widodo, que tem o costume de postar selfies.
Esta é a segunda fatwa este mês que gera revolta nos muçulmanos. Duas semanas atrás, o Sheikh Mohammed Saleh al-Munajjid, da Arábia Saudita, afirmou que fazer bonecos de neve era proibido. Ele argumenta que equivalia a criar uma imagem humana, uma ação considerada pecado segundo o wahabismo, ramo mais conservador do islamismo sunita. Com informações Daily Mail

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Marco Feliciano: Ativistas gays cobram R$ 2 milhões de indenização do pastor



As ativistas Joana Palhares, 19 anos, e Yunka Mihura, 21 anos, que ficaram nacionalmente conhecidas por se beijarem durante um evento evangélico em São Sebastião, litoral paulista, e, posteriormente, receberem voz de prisão do pastor Marco Feliciano (PSC-SP), anunciaram que estão processando o deputado federal. As duas cobram uma indenização de R$ 2 milhões. O advogado que representa as ativistas diz que a ação truculenta dos guardas municipais foi motivada pelo pedido do pastor.



Fonte: Gospelhoje

JAÇANÃ-RN: Templo da Assembleia de Deus será um dos maiores da Região Trairi


Jaçanã terá um dos maiores templos Evangélicos entre as regiões Trairi e Curimatau. A Assembleia de Deus em Jaçanã, liderada pelo Pastor José Jofe Dantas e sua esposa a Missionária Betanea Dantas, deram inicio a construção de um templo que irá acomodar aproximadamente 500 pessoas sentadas e 60 obreiros sentados na plataforma do púlpito, o templo ainda terá algumas inovações tecnológicas e uma infra estrutura com capacidade de acomodar e dar conforto a membresia e aos visitantes que chegarem para visitar a Igreja em dias de Culto e eventos que serão realizado pela instituição.

 O pastor Jofe disse que foi obrigado enfrentar esta construção pois o templo central não estava comportando mais a membresia e os visitantes quando vem aos cultos.

Fonte: http://www.edigarabencoado.com/

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

“Meu Nome é Paulo”: filme vai contar a história de conversão do apóstolo nos dias atuais


O longa-metragem “Meu Nome é Paulo” vai contar a história de conversão do apóstolo, adaptando a narrativa bíblica aos dias atuais. A produção cinematográfica realizada pela Dunamis Films com direção de Trey Ore tem estreia prevista para o dia 12 de março de 2015 nos cinemas brasileiros.

No filme, o ambiente da Igreja Primitiva, perseguida por Saulo como mostram os relatos bíblicos, é substituído pelo mundo contemporâneo. No entanto, o roteiro mostra uma sociedade avessa à fé, onde as autoridades investem pesado na perseguição aos cristãos e o principal agente de perseguição é Paulo.

“Paulo, cego pelo ódio e intenção de destruição, está determinado a encontrar e matar Pedro, o inimigo de seu Líder. No entanto, um terrível acidente e uma descoberta milagrosa, o levará para fora do curso e a uma estrada de autodescoberta, onde ele aprende a viver e amar o próximo”, diz a sinopse do filme.

“Meu Nome é Paulo” se vale de cenas de ação, troca de tiros e certa violência para narrar, de forma ousada, a história do “apóstolo dos gentios”, que passou de perseguidor a fundador e incentivador de igrejas após seu encontro pessoal com Jesus.

Produzido nos Estados Unidos, o filme tem o elenco formado pelos atores Andrew Roth, Michael Joiner, Patrick Keenan, Cranston Johnson, Shannen Fields, Vanessa Ore, Karyn Elyse Abercrombie, Tim Ross, Abigail Cornell, Isaiah Stratton, Torry Martin, Catherine Trail, David Sweeney, Davis Osborne, Armando Alonzo e Joe Coffey, segundo informações da página oficial do longa no Facebook.

Confira o trailer:


segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Cristãos argelinos são barrados no aeroporto por carregarem Bíblias


Dois jovens cristãos argelinos foram interpelados pela polícia no aeroporto de Oran, e submetidos a um longo interrogatório na sexta-feira, 16 de janeiro, depois de oficiais encontrarem Bíblias de uso pessoal na bagagem de cada um.

“Os dois estavam no aeroporto Ahmed Ben Bella Oran a espera de um voo da companhia aérea nacional Air Algeria com destino a um país vizinho. Uma vez que cada um deles tinha uma Bíblia em sua bagagem, eles foram levados pela polícia e submetidos a um longo interrogatório. Todas as perguntas se referiam aos motivos que os levaram a mudar de religião”, explica Kader, líder de uma igreja evangélica em Oran. Após o interrogatório os dois foram autorizados a embarcar no avião.

Kader acredita que o interrogatório é parte de “uma tentativa deliberada de intimidar os cristãos" na Argélia. "Situações como essa são injustas e violam a lei", afirmou. Ele se refere à Constituição argelina que garante no capítulo quatro, o artigo 29, a liberdade de religião e de consciência.

De acordo com Kader, a lei argelina proíbe formalmente a pregação para muçulmanos e a distribuição de livros cristãos (Bíblias ou outros escritos explicando o cristianismo), mas não condena a posse de uma Bíblia pessoal. "Apesar disso, autoridades do país se acham no direito de interrogar os cristãos em suas crenças pessoais, simplesmente porque eles carregam uma Bíblia", concluiu. 

Fonte:Portas Abertas

domingo, 25 de janeiro de 2015

Protestos em Mossoró: Suplentes Agentes de Endemias lutam de todos os meios pelo direito de trabalhar


Nos últimos dias, os concursados vêm demonstrando intensa articulação na imprensa e no campo político de bastidores. Fazem cerco com base em parecer até do Conselho Municipal de Saúde, que atesta a necessidade da convocação.


Além disso, dezenas de agentes em atuação estariam em situação irregular, do ponto de vista legal.Um dos membros da comissão dos agentes suplentes, Evaldo Pinheiro, comentou que a mobilização da categoria não irá parar até que o prefeito apresente uma proposta concreta, que contemple os concursados. De acordo com ele, se não houver acordo, o acampamento seguirá até maio, quando o concurso perde sua validade. 

"O objetivo de nossa mobilização é a convocação de suplentes para o cargo de agentes de endemias do município. Existem nove vagas diretas, previstas no edital, que precisam ser preenchidas imediatamente. Além disso, tivemos acesso ao Memorando 088/2014, que explicita a necessidade imediata de convocação de 50 agentes de endemias para o Centro de Controle de Zoonoses da cidade. 

Atualmente em todo o município, há um déficit de profissionais para a área de combate a endemias, enquanto há pessoas aprovadas no concurso público realizado em 2011 que aguardam desde então pela convocação para o cargo.


Fonte: via http://blogcarlossantos.com.br/

A pedido de Jean Wyllys, MP interrompe curso para pastores sobre temática gay


Por solicitação do deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ), um curso de  homossexualismo ministrado pelo ex-homossexual Claudemiro Ferreira – e voltado para pastores – foi interrompido pelo Ministério Público do Distrito Federal (MP-DF).

Apesar de voltado para lideranças evangélicas, o evento que aconteceria entre os dias 19 e 23 do presente mês foi interrompido por um oficial de Justiça. A programação foi denunciada porque supostamente tratou da homossexualidade “como doença”. O caso seria investigado pelo MP-DF, que decidiu pelo seu arquivamento (veja abaixo).

Mas o foco do evento traz uma perspectiva bastante distante de qualquer vestígio de homofobia. O cartaz do evento dizia somente: “Homossexualismo: ajudando, biblicamente, a prevenir e tratar aqueles que desejam voltar ao padrão de Deus para sua sexualidade”.

Mesmo assim, com base na denúncia de Jean Wyllys, o Ministério Público do Distrito Federal intimou os palestrantes Airton Williams e Claudemiro Soares durante evento em Brasília. Contra eles, foi feita por Wyllys uma acusação sobre “charlatanismo”.

Com a divulgação do caso, lideranças evangélicas passaram a questionar se agora é crime no Brasil ensinar que o homossexualismo é pecado. Outras questionam se Jean Wyllys acionaria o MP se o curso fosse ministrado por um clérigo muçulmano em uma mesquita.

“Qualquer um pode defender o aborto e o uso de drogas, que são crimes, abertamente. O Ministério Público não diz nada. Mas falar em lugar privado sobre terapia para gay é proibido e o lugar invadido pelo MP-DF. É revoltante”, afirmou o pastor Silas Malafaia.

Por sua vez, o deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP) questionou o “oportunismo” de Jean Wyllys, lembrando a origem do deputado do PSOL, que se deu em um reality-show.

“Não me assusta que o pacóvio deputado ex-BBB ter assumido a autoria da denúncia visando a prisão dos palestrantes. É um cristofóbico assumido. Se os cristãos ficarem calados, amedrontados, preparem-se para verem pastores e padres serem presos, retaliações piores que está virão”, declarou Feliciano.

A advogada e pastora Damares Alves destacou a força do lobby LGBT. “Pasmem, senhores, o Ministério Público foi no local e interrompeu o curso. Olhem o tamanho do poder do deputado Jean Wyllys. Conseguiu interromper um curso fechado para líderes evangélicos. Isso é só o começo. Temos que dar uma resposta à altura a esse episódio”, ressaltou.

MP-DF recua após repercussão

“Tanta coisa para um parlamentar fazer no Brasil e ele preocupado com um curso que tinha apenas 25 pastores presentes querendo tão somente aprender sobre como acolher e lidar com os milhares de homossexuais que tristes e deprimidos procuram nossas igrejas”, sentenciou Damares.

Depois da forte repercussão negativa sobre a interrupção do curso voltado para pastores, o Ministério Público do Distrito Federal decidiu arquivar o caso por não haver indício de discriminação por orientação.

Oficialmente, o MP-DF decidiu pelo arquivamento após o depoimento de um dos palestrantes, Airton Williams. O depoimento do palestrante levou o promotor a conclusão óbvia: o curso é voltado para lideranças evangélicas interessadas em acolher homossexuais.

“Ele explicou que o curso é sobre como acolher homossexuais e como fazer trabalho de orientação eclesiástica para, nas palavras dele, homossexuais que gostariam de deixar de ser”, afirmou o promotor Thiago Pierobom de Ávila.

O promotor disse que o papel do Ministério Público é vedar qualquer ato de discriminação, o que, para ele, até o momento, “não ficou caracterizado”. 

Fonte: GospelPrime

Houve um tempo na Igreja...


Aviva, Senhor, a tua obra


Houve um tempo em que os crentes gostavam de orar. Nessa época eles murmuravam pouco, por falta de tempo e de oportunidade e não perdiam nenhum ensejo para apresentar sua adoração, sua oração e sua intercessão diante do Trono do Pai.

Houve um tempo em que os cultos não eram um espetáculo, senão um cenáculo espiritual.

Houve um tempo em que os pastores se dedicavam à leitura da Palavra. Eles não se envolviam com política, nem secular nem eclesiástica. Eles não viviam obcecados por títulos e cargos, quer na sua comunidade, quer no âmbito nacional.

Houve um tempo que as Convenções eram convocadas para que os obreiros mais jovens ouvissem estudos bíblicos e experiências notáveis dos mais antigos, e assim eram fortalecidos e robustecidos: na fé e no ministério. Nesse tempo, ir a uma reunião convencional era um grande sonho, uma ardente paixão, um negócio de Deus.

Houve um tempo em que os presidentes não eram ditadores e os líderes não eram senhores de engenho. Todos viviam mergulhados no mar da graça misericordiosa do Senhor Jesus.

Houve um tempo em que a Casa de Deus não parecia com um sindicato, por ser exatamente uma assembléia dos santos.

Houve um tempo em que não havia nas igrejas círculo de oração, porque todos os crentes oravam, e não apenas uma meia-dúzia de irmãs abnegadas e de total renuncia.

Houve um tempo em que os jovens crentes não se enamoravam de senhoritas ímpias e assim o vírus do jugo desigual não se inoculava nos arraiais dos santos.

Houve um tempo em que não se cantava nem se pregava por dinheiro e assim a inspiração fluía sem tropeços, o púlpito não era balcão de barganhas e nem de aplausos para homens, porque o louvor se destinava exclusivamente a Deus.

Houve um tempo em que os cultos não eram shows, os ministros não eram artistas e os santos de Deus não eram galera.

Houve um tempo em que os compositores de hinos não eram sacoleiros, os cantores não tinham empresários e os pregadores não eram galãs.

Houve um tempo em que os crentes não deixavam de ir aos cultos por causa das novelas, as crianças não deixavam de ler a bíblia por causa dos videogames e os adolescentes não deixavam de jejuar por causa das lan-houses.

Houve um tempo em que jovens crentes se respeitavam mutuamente e deixavam as práticas de intimidade sexual para depois da cerimônia de matrimônio no altar sagrado.

Houve um tempo em que as moças crentes casavam virgens, os rapazes crentes eram abstinentes e os motéis não eram jamais por eles visitados.

Houve um tempo em que falar mal dos pastores era abominação e ser infiel a Deus era apostasia.

Houve um tempo em que se pregava a misericórdia, o perdão, o arrependimento e o juízo de Deus.

Houve um tempo em que a letra sacra dos hinos inspirados não era abafada pelo barulho ensurdecedor das baterias.

Houve um tempo em que os Congressos eram selados com batismo com o Espírito Santo e não com jogo de luzes, bem ao estilo Holywood.

Houve um tempo em que não se pagava para ir a um evento evangélico, porque os pregadores e cantores não eram artistas.

Houve um tempo em que "os mais belos hinos e poesias foram feitos em tribulação" e os que os apresentavam ao público jamais sonharam comparadas de sucesso.

Houve um tempo em que ser pastor dependia basicamente de um chamado, uma vocação, um compromisso e um testemunho público perante a Noiva do Senhor Jesus.

Houve um tempo em que os itinerantes, especialmente aqueles que nunca pastorearam, respeitavam os pastores e se maravilhavam com o seu difícil e árduo labor.

Houve um tempo em que ganhar almas era um dever de cada membro da Igreja e excluir um membro da Igreja era uma tarefa dolorosa, sempre recebida com muita tristeza e temor.

Houve um tempo em que os pastores de Jerusalém não excluíam os membros dessa igreja porque visitaram a de Antioquia.

Houve um tempo em que mentir era pecado em qualquer lugar. Na Casa de Deus, então, era totalmente inaceitável.

Houve um tempo em que os líderes se respeitavam e se amavam; não se devoravam mutuamente.

Houve um tempo em que os peixes eram buscados lá fora, em alto mar, e não no aquário do vizinho mais próximo.

Houve um tempo em que as igrejas cresciam, devido aos batismos em águas e não às muitas cartas-de-mudança emitidas em seu favor.

Houve um tempo em que as congregações não eram agências de empregos, isto é, não se oferecia vantagens para quem a elas aderisse.

Houve um tempo em que não se trocava um cartão de membro em uma igreja por uma vaga no diaconato noutra.

Houve um tempo em que rebelião não era algo chic. Era uma ofensa profunda à santidade de Deus e quem a praticava era dito pertencer a Satanás, o pai de todas as rebeliões.

Houve um tempo que as senhoras idosas não ensinavam as mais jovens a desobedecerem seus maridos e assim as famílias eram mais estáveis.

Houve um tempo em que, no ato do convite para a salvação, não se chamava os pecadores de irmãos, e, sim, de amigos.

Houve um tempo em que ser humilde não estava fora de moda e ser simples não merecia agressões.

Houve um tempo em que ser fariseu soava estranho na Casa de Deus e jamais se veria ao menos um deles ser condecorado.

Houve um TEMPO em que jamais se sonhava que haveria UM OUTRO, tão diferente dele, que nem se poderia imaginar.

Nota:
Não escrevi esta matéria mergulhado num oceano de saudosismo inconseqüente. Fi-la, na firme esperança e na severa confiança de que aqueles tempos voltarão, antes Cristo regresse.

Que pensa o meu leitor a respeito disto?

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Estátua de soldado orando será removida de cidade nos EUA após ação movida por grupo ateísta


A prefeitura da cidade de King, na Carolina do Norte, anunciou recentemente que desistiu de sua batalha legal para manter a estátua de um soldado orando diante de uma cruz, depois de uma disputa de quatro anos desencadeada pela queixa de um ateu.

De acordo com o The Daily Caller, a prefeitura cedeu à remoção da estátua após ter gasto cerca 50 mil dólares foram gastos com processos e para manter a estátua de forma legal. A decisão foi anunciada após as autoridades municipais calcularem que teriam que desembolsar mais de 2 milhões de dólares para manter a estátua.

– A decisão não foi tomada até que ficou claro que os custos do processo para julgamento seriam muito maiores que os limites da política segura da cidade – afirmou a prefeitura em um comunicado, ressaltando que a decisão de desistir da luta para manter a estátua foi uma “decisão difícil para o conselho da cidade”.

Ação contra prefeitura pedindo a remoção da estátua foi movido pelo grupo ateísta “Americanos Unidos pela Separação entre Igreja e Estado”, que alegou que o monumento viola a Constituição americana, e é uma aparente promoção ao cristianismo e uma “bandeira cristã” em um parque municipal.

O prefeito de King, Dillard Brunette, comentou o caso afirmando que “não há nenhuma vitória nesta situação”.

Fonte: Gospel+

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Fábrica de bebidas abre inscrições para programa de estágios no RN.


A Companhia de Bebidas das Américas (Ambev) abriu inscrições para estagiários no Rio Grande do Norte. Para participar da seleção, é necessário se cadastrar pelo site da empresa (clique AQUI) até o dia 12 de fevereiro. As oportunidades são para alunos do penúltimo e último ano de diversos cursos de graduação.

Após a inscrição, os candidatos serão automaticamente encaminhados para testes online que consistem em prova de inglês, português e raciocínio lógico. Após esta etapa, os aprovados são chamados para dinâmica e entrevista.

“A Ambev busca jovens que tenham proatividade, dinamismo, capacidade analítica, senso de priorização e organização, espírito empreendedor, liderança, adaptabilidade e que gostem de desafios”, afirmou a assessoria de comunicação da empresa. “O estagiário terá a missão de desenvolver projetos de melhoria em sua área de atuação, contribuindo para o crescimento da companhia, com autonomia para execução das atividades de rotina, contando com o suporte da equipe e dos gestores da área”, acrescenta.

O Programa de Estágio da Ambev tem duração de até dois anos e oferece bolsa auxílio, refeição, transporte da empresa e possibilidade de efetivação.

Fonte: http://redenomeudistrito.blogspot.com.br/

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Os cinco países mais intolerantes ao cristianismo

A perseguição contra cristãos tem crescido em todo o mundo, mas há alguns países que lideram a quantidade de casos onde cristãos são presos, mortos, torturados e vítimas das maiores crueldades.
O ministério Portas Abertas listou os cinco países onde ser cristão representa um grande risco à vida: Coreia do Norte, Somália, Iraque, Síria e Afeganistão.
Nesses locais o cristianismo é cruelmente combatido, nem mulheres e crianças são poupadas. O que o Estado Islâmico tem feito no Iraque e na Síria é um dos maiores exemplos de intolerância religiosa, enquanto os homens cristãos são forçados a se converterem ao islamismo, quem não aceita é expulso de sua própria casa ou é morto.
Suas esposas e filhas são vendidas como escravas sexuais ou abusadas sexualmente por soldados jihadistas que também atacam os yazidis, uma minoria religiosa da região.
Todos os anos o Portas Abertas divulga uma classificação de países onde a perseguição religiosa é constante, um ranking com 50 países que é dividido segundo o grau de perseguição que os cristãos enfrentam.
A perseguição a cristãos é comum em grupos islâmicos radicais, tanto é que dos cinco mais perigosos, quatro países são islâmicos. A Coreia do Norte persegue cristãos por acreditar que a crença coloca em risco a soberania do Estado, que vive em um regime ditatorial que tortura os cristãos e os colocam em trabalho forçado quando não condena à morte.
Assista: 


segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

PERDÃO - Um vídeo para se refletir Missão da Igreja em 3 minutos


PERDÃO - Um vídeo para se refletir a Grande Comissão em 3 minutos


PERDÃO é um vídeo de incentivo à evangelização, e ao cumprimento da Grande Comissão por parte da Igreja, produzido pelo Departamento de Adolescentes da Assembleia de Deus - Ministério de Cubatão - SP.
Compartilhe e divulgue:





Fonte:http://www.pointrhema.com.br/

A Pena de morte se justifica? O que você acha?



Nada justifica.

Pra mim, pessoalmente, a pena de morte é algo absurdo. Porque o Estado com ela passa a mensagem inversa. De que matar um ser humano pode ser um recurso válido é pode até ser justo. A pena de morte estimula o poder de matar e transgredir limites morais.

“Ora, se o governo faz, por achar justo, porque eu não poderia fazer, nas horas que eu considerar justo?” – É a lógica inconsciente.
Basta ver as manifestações de ódio e apoio a pena de morte que acontecem nas redes sociais da Indonésia e mundo. Claramente se vê que não são pró-saúde. São carregadas do mesmo desprezo, capricho e maldade que faz qualquer assassino matar, qualquer estuprador praticar o delito, qualquer traficante ser indiferente ao prejuízo do consumidor.

A mensagem pregada devia ser anti-morte. E não inseminando mais morte no sistema operacional do subconsciente da humanidade!
O Amor é – ao contrário do que os burros possam raciocinar – o melhora antídoto para o pensamento coletivo mundial. Ele vai purgando o mal, e não validando indiretamente e subconscientemente.

No caso do condenado brasileiro, o absurdo é a desproporção. Ele não praticou crime hediondo. Não sequestrou, não estuprou, não matou, nem mesmo afetou a honra de ninguém. Tem que ser punido? Obvio! Mas não com fuzilamento. A discrepância é colossal! Some-se a isso as negações de extradição para cumprir pena no se país de origem e o fato de que ele foi fuzilado após 12 anos preso. Em 12 anos o cara é outra pessoa. Já não é aquele que cometeu o delito. Uma coisa é ser executado um dia após cometer um estupro e homicídio do filho de alguém.

Outra coisa é ser fuzilado 12 anos após ter carregado uma substância cujo comércio alguém considera ilegal, mesmo que não seja um delito impositivo mas um delito de disponibilidade. Você não impõe cocaina goela a dentro de ninguém. Você disponibiliza. Se não for você a disponibilizar, será um dos outros 6 bilhões de seres humanos vivos. Pois nenhum governo jamais conseguirá matar o direito e é desejo primário humano, que é ir e vir e portar na bagagem o que deseje carregar. Com pena de morte ou não.

É como ter a ilusão de que pode – se impedir o se humano de mentir ou destruir algum tipo de coisa, mesmo que seja para se alimentar. A gente destrói plantas e animais. É o tipo de coisa que faz parte da nossa condição básica e nossa imperfeição.

É o tipo de coisa essencial e impossível de se acabar e anular, mesmo matando 100 pessoas por dia pra servirem de exemplo.
O que se deve fazer é educar, regular, medicar. .. e não combater de forma burra e diabesca. Pois assim o mundo vira um inferno. Vira tudo morro carioca em guerra.

Pelo amor de Deus!
Por Marcello Cunha
Fonte: Gospel +

Homem mata seus cinco filhos em ritual satânico

Em vários países muçulmanos, apesar da crença em um só Deus, seus habitantes praticam tipos variados de magia, no chamado “Islã folclórico”, prática similar aos católicos nominais que se envolvem com rituais afro-brasileiros.

No Paquistão, Ali Nawaz Leghari (40), matou suas duas filhas e três filhos no que vem sendo descrito como ritual mágico e satanismo. As crianças tinham idades variando entre 3 e 13 anos e viviam com o pai na cidade de Saeed Jan, norte de Karachi.
O assassino está foragido. Segundo a polícia, “Leghari aprendia magia negra e resolveu fazer este sacrifício para aumentar seus poderes”. O sacrifício ocorreu após o homem ter passado pela “odisseia espiritual” de 40 dias chamada “chilla”. Ele teria seguido instruções de um mago local, com quem estudava alquimia.
A esposa conta que ele já tinha tentado envenenar toda sua família durante o jantar, mas ela o impediu após uma violenta discussão. Após a esposa e o filho mais velho terem decidido passar a noite na casa de parentes, o pai estrangulou os filhos com uma corda “um a um e depois levou os corpos para o quintal”, relata o porta-voz da polícia local, Qamaruddin Rahimo.
Se capturado, enfrentará a pena de morte. A polícia relata que Leghari tinha sérios problemas financeiros e buscava na bruxaria a solução.  Práticas de magia negra estão enraizados na tradição Sufi no Paquistão, onde pirs e aamils (espécies de feiticeiros) dominam regiões inteiras. Com informações Metro e Cristiano Digital
Fonte: Gospel Prime

Total de visualizações de página