segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Qual a graça desse Natal?

Qual a graça do Natal? Natal este que para muitos será apenas mais uma celebração onde pouco ou nada, se viverá o amor de Cristo, onde os interesses estarão nos presentes, nas bebidas e nas festas de “confraternização”. Onde muitos vestirão uma capa de reconciliação para problemas que não serão resolvidos e conflitos que não serão perdoados na hipocrisia dos que planejam o mal na escuridão.

Qual será a graça deste Natal? Quando mesmo dentro das igrejas, irmãos que mal se falam, dirão que se amam pelo bem do ritual. As “irmãs” que disputam vestes, bolsas e sapatos mais caros, ignorarão o pobre mendigo que se estende na porta de suas casas e congregações, ou a irmãzinha mais simples que vem com o mesmo vestido no culto. Que graça terá este Natal, se os “pastores” em seus carros luxuosos, não terão tempo de saudar o mais simples irmãozinho, na grande celebração preparada para a glória e vitória de seus ministérios.

Qual a graça deste Natal, se nossos líderes e representantes nos cospem na cara o quanto a oferta do povo lhes proporcionou hotéis, viagens “missionárias” e a prosperidade divina.

Qual a graça deste Natal se o povo endividado, inflacionado e sofrido é levado a crer que precisa dar mais e mais para seus líderes para alcançarem “as bênçãos de Deus”.

Qual a graça deste Natal se agora mesmo no Brasil e fora dele, milhares estão chorando e sofrendo pelas mais diferentes circunstâncias: guerra, fome, doenças e injustiça. Não precisa nem sair da sua cidade que você vai encontrar algum pai de família pensando no que fazer para agradar seus filhos com o feijão básico, uma mãe desesperada sem leite para seus filhos e crianças chorando por brinquedos… Que graça teremos neste Natal?

Qual a graça deste “natal” se o Brasil enfrenta uma de suas piores crises morais e “econômicas”. A Petrobrás é apenas a ponta do iceberg. Mas, claro, a igreja prefere mais uma vez ignorar.

Você pode até fazer pecinha e cantata, mas a apatia que presenciamos no coração dos crentes não deixará que o verdadeiro Natal seja manifesto. Se eu fosse você, nem me preocupava pois depois da “cantata”, a fofoca e a briga entre irmãos vai continuar mesmo e mais um novo velho ano começará…. É, se seu coração não se quebrantar com a situação do mundo e do Brasil, não há muito mais o que falar, a não ser: Feliz Natal!

João respondia: “Quem tem duas túnicas dê uma a quem não tem nenhuma; e quem tem comida faça o mesmo”. Alguns publicanos também vieram para serem batizados. Eles perguntaram: “Mestre, o que devemos fazer?” Ele respondeu: “Não cobrem nada além do que foi estipulado”. Então alguns soldados lhe perguntaram: “E nós, o que devemos fazer?” Ele respondeu: “Não pratiquem extorsão nem acusem ninguém falsamente; contentem-se com o seu salário”. Lucas 3:11-14

Tocai a trombeta em Sião e dai voz de rebate no meu santo monte; perturbem-se todos os moradores da terra, porque o Dia do SENHOR vem, já está próximo; dia de escuridade e densas trevas, dia de nuvens e negridão! Como a alva por sobre os montes, assim se difunde um povo grande e poderoso, qual desde o tempo antigo nunca houve, nem depois dele haverá pelos anos adiante, de geração em geração. Joel 2: 1-2
Fonte: Gospel +

Total de visualizações de página