sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Quando a Religião se torna em “Droga”


Religião é sempre um tema atual do qual se discute, se curte ou se detesta, Sempre haverá consonância e sempre haverá discórdia em torno do tema religião. 

A humanidade sempre praticou a religião desde os primórdios, e quando Jesus encarnou-se encontrou vários segmentos religiosos e conviveu com boa parte deles, embora trouxesse consigo um diferente conceito daquilo que eles praticavam e chamavam de religião. Os religiosos da época como os fariseus e os saduceus, eram pessoas extremamente devotas às suas crenças e rituais. 

Praticavam seus cultos com muito entusiasmo e não abriam mão de seus idolatrados regimentos. Mas, o que Jesus via neles era um enorme vazio interior, uma busca vã de um ser superior que eles jamais poderiam encontrar enquanto não se desvencilhassem daquele manto de hipocrisia. 

O que Cristo, o Rei dos reis e Senhor dos senhores, queria ensinar-lhes não era uma nova religião, porque já existiam muitas religiões entre eles. Jesus ensinou que para chegar-se a Deus eles necessitavam muito mais do que uma religião, precisavam entender a mensagem da verdadeira religião. 

Tiago, o apóstolo do Senhor, deixou bem esclarecido o sentido da verdadeira religião: “A religião pura e imaculada diante de nosso Deus e Pai é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas aflições e guardar-se isento da corrupção do mundo” (Tiago 1.27). Não adianta passar uma vida inteira na igreja se não aprender e nem praticar a verdadeira religião. 

Nenhum de nós conseguirá superar os fariseus nem os saduceus e suas fervorosas práticas religiosas, no entanto todos eles foram reprovados pelo Senhor. Hoje as estatísticas apontam um crescimento vertiginoso dos evangélicos em vários países, principalmente no Brasil, mas o que se vê na verdade e na prática é um crescimento desgovernado de pessoas viciadas em religião.

 Não é só a cocaína, a maconha ou o crack que viciam. Religião também causa dependência! E o que muito se vê nos dias atuais são templos lotados de viciados que se “drogam” diariamente com a “religião”. Dopam-se, entram em transe, veem a vida colorida durante aqueles momentos em que estão “drogados”, e quando voltam a si se encontram deprimidos, vazios, distantes de Deus. Tentam encontrar na religião a solução dos seus problemas e se esquecem, ou nem mesmo sabem, que a solução é Jesus somente.

 O “traficante da religião” oferece a “droga” prometendo um mundo de maravilhas e quando a vítima vicia o mesmo “traficante” lhe tira tudo e o deixa na miséria, mas aí pode ser tarde demais, pois o “viciado” não quer outra coisa senão mais uma boa dose de religião. E assim vai se definhando dia após dia. 


Preste atenção, se você está na igreja, mas ainda não atentou para o que está escrito em Tiago 1.27 você precisa se converter urgentemente. Religião pura e imaculada e que tem aprovação de Deus é dar assistência aos necessitados. É manter-se puro, isento da corrupção deste mundo. Ser crente, frequentador de igreja, mas que vê o seu vizinho desempregado, passando dificuldade e não ajuda em nada isto não é ser um servo de Deus. Pode ser qualquer coisa menos um salvo por Jesus. 

Dar glória a Deus nos cultos da igreja, e dar às costas para quem necessita de ajuda não faz da pessoa um cristão genuíno. Quem vive essa religiosidade hipócrita não é cristão é um “viciado em religião”. Precisa se tratar. Precisa internar-se numa clínica de reabilitação, precisa de Jesus. 

“Se um irmão ou uma irmã estiverem nus e tiverem falta de mantimento cotidiano, e algum de vós lhes disser: Ide em paz, aquentai-vos e fartai-vos; e não lhes derdes as coisas necessárias para o corpo, que proveito há nisso? Assim também a fé, se não tiver obras, é morta em si mesma” (Tiago 2.15-17). Aos “viciados em religião” recomendo tratamento à luz da Palavra de Deus, conheçam a verdade e sejam libertos: “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” (João 8.32).

 Não sejam “viciados em religiosidade hipócrita”, mas sejam cheios do Espírito Santo de Deus, o que realmente nos importa nesta vida tão curta que levamos. Nos laços do Calvário, 

Fonte: Pr. Valtair Freitas - See more at: http://searanews.com.br/quando-a-religiao-se-torna-em-droga/#sthash.fRAzrwWY.dpuf

Total de visualizações de página