quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Ateu cria aplicativo da Bíblia Sagrada e fatura mais de R$ 270 mil em um ano: “Me sinto mal”


Um ateu faturou mais de R$ 270 mil durante o ano passado vendendo aplicativos da Bíblia Sagrada em espanhol na loja da Apple. A ideia de ganhar dinheiro com as Escrituras surgiu após descobrir que um parente estava lucrando alto com a venda de aplicativos.

Trevor McKendrick ouviu do familiar que, mesmo sem formação na área de desenvolvedor, estava lucrando entre US$ 8 mil e US$ 10 mil por mês. Assim, o norte-americano resolveu pesquisar quais eram os aplicativos que estavam sendo menos oferecidos na AppStore e percebeu que haviam poucas Bíblias em espanhol.

O rapaz contratou um desenvolvedor para criar o aplicativo da Bíblia em espanhol, e tinha como meta arrecadar apenas US$ 600 por mês, o que cobriria os custos de hospedagem de seu produto na plataforma da Apple.

McKendrick disse que passou a acompanhar diariamente os resultados das vendas, e ficou surpreso quando fechou o primeiro mês lucrando US$ 1.500. “Mesmo não sendo uma grande quantia, pelo pouco tempo e baixo investimento inicial já podia tê-lo considerado um projeto de sucesso”, disse ao produtor de rádio Alex Blumberg, que publicou a história em seu site pessoal.

Ao ver que havia espaço para crescer, o ateu resolveu contratar um estúdio para criar um audiobook da Bíblia em espanhol, e posteriormente, um aplicativo à parte para quem quisesse ouvir as Escrituras no idioma. No primeiro mês, o faturamento superou a casa dos US$ 5 mil.

Durante o ano de 2013, os aplicativos do empresário ateu arrecadaram mais de US$ 70 mil, e no ano passado, outros US$ 100 mil (equivalente a US$ 270 mil de acordo com a revista Época).

Quando notou a grande quantidade de dinheiro que estava ganhando, comemorou com a esposa: “Meu deus, querida, olhe todo esse dinheiro. Eu gastei no máximo uma hora por mês nesse empreendimento”, diz ter falado à esposa.


Mesmo com o alto lucro, o ateu diz que se sente mal ao saber que está ganhando dinheiro justamente com o que não acredita: “Eu não acredito no Cristianismo. Não acredito na Bíblia. Eu me sinto terrível sobre o fato de vender a Bíblia, mas encaro como um outro livro e acredito que o que realmente vendo é ficção”, resume.

No entanto, no passado McKendrick foi frequentador de uma Igreja Mórmon e se casou em um colégio da denominação, mas devido a frustrações, abandonou a fé. A saída de seu irmão da igreja o fez descobrir que tinha muitas dúvidas, e por isso, resolveu deixar de acreditar.

Fonte: Gospel +

Total de visualizações de página