segunda-feira, 6 de julho de 2015

Presidente do UFC pede a lutadores que não agradeçam a Jesus por suas vitórias


O presidente do UFC, Dana White, pediu que os lutadores de MMA deixem de agradecer a Jesus por suas vitórias nas lutas da entidade.

A iniciativa de White foi tomada depois que o lutador Yoel Romero derrotou o brasileiro Lyoto Machida. Conhecido como “Soldado de Deus”, Romero – que é cubano – pediu que os Estados Unidos voltassem para Deus e não esquecessem Jesus.

Como o sotaque de Romero é carregado, a frase “Don’t forget Jesus” (“não se esqueça de Jesus”, em português) soou “No for gay Jesus”, que seria algo como “não para um Jesus gay”. Quem entendeu a pronúncia de maneira equivocada chegou à conclusão que Romero estava fazendo uma crítica à legalização do casamento gay pela Suprema Corte, e a polémica foi instalada.

Como a repercussão foi enorme, Dana White resolveu pedir que os lutadores deixem sua fé “em casa”, num gesto aparentemente precipitado, afinal a confusão foi feita por causa da pronúncia com sotaque carregado do cubano.

“Você acaba de ganhar a maior luta de sua carreira, os Estados Unidos não querem ouvir seus pensamentos sobre Jesus. Mantenha essas coisas em casa – religião, política, e tudo que se relaciona a isso. Quando você está lutando e sendo entrevistado, eles querem ouvir sobre a luta. É incrível que você ame a Jesus. Ame a Jesus o quanto quiser. Você simplesmente não tem que fazer isso publicamente”, sugeriu o presidente do UFC.


A ideia de White, porém, vai contra alguns dos princípios mais caros à sociedade norte-americana: a liberdade de expressão e a liberdade de crença. Ao dizer que os lutadores não devem falar de sua fé publicamente, White tenta impor uma limitação a esses direitos.

Sobre a polêmica do casamento gay, White admitiu que Romero não teve uma atitude preconceituosa: “Eu sei que não foi o que ele quis dizer”, afirmou, segundo informações do MMA Mania.

Fonte: Gospel +

Total de visualizações de página