quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Prefeitura gasta R$ 200 mil com gravação do DVD de André Valadão



O presidente da Câmara Municipal do Cabo de Santo Agostinho, Mário Anderson da Silva Barreto, deu declarações contra o prefeito da cidade, Vado da Farmácia (PTB), por conta das medidas tomadas por ele para conter as despesas do munícipio.

Localização da região metropolitana de Recife, a cidade passou por alguns cortes no orçamento que incluiu a demissão de cargos comissionados e até mesmo de médicos e dentistas que atendiam nos postos municipais.

O vereador Barreto criticou as ações do prefeito, pois em meio aos cortes a cidade irá gastar mais de R$ 200 mil com a gravação do DVD de André Valadão que acontece no próximo sábado (26).

“Para contrastar ainda mais e provar que não há crise, é que o prefeito está gastando mais de 400 mil reais para que o Cantor Gospel André Valadão grave o seu DVD em nossa Cidade, sendo 200 mil só de cachê”, disse o presidente da Câmara.

A gravação do DVD Crer Para Ver acontecerá na Praça do Centro de Eventos de Cabo de Santo Agostinho tendo entrada franca. O disco será o oitavo DVD do pastor e terá uma superprodução com algumas participações especiais confirmadas, como a cantora Mariana Valadão e o cantor Lukão Carvalho.

Mas o vereador não reclama apenas dos gastos do evento gospel, um dia antes da gravação o prefeito irá comemorar seu aniversário em uma festa aberta onde dez bandas bregas se apresentarão.

“Muito estranha também é a coincidência, pois nesta sexta, o Prefeito faz aniversário, em praça pública, com dez bandas de brega, supostamente bancada por ‘seus amigos’. Qual o benefício que terá o povo do Cabo, que sofre com o caos implantado em nossa Cidade, com o fato do referido cantor gravar seu DVD, em nossa Cidade? Desconfio que essas bandas do aniversario serão pagas com a verba desse show gospel”, diz Barreto.

O presidente da Câmara está decidido a reclamar desses gastos e marcou de ir nesta segunda-feira (21) pedir providências ao Ministério Público de Pernambuco (MPPE) e ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) para investigar os gastos da prefeitura e para pedir que os “amigos do prefeito” sejam identificados para que seja confirmado o valor pago para as bandas de brega.

“Em nome da ética e da moralidade, vamos cobrar a responsabilidade do prefeito Vado da Farmácia, pois o argumento de que em duas horas de shows a economia do Município será aquecida, é conversa pra boi dormir. Vado precisar entender que o dinheiro público não é dele”.

Total de visualizações de página