quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Frase “Deus seja louvado” das cédulas de reais pode ser retirada?


 COMEÇO ESTA MATÉRIA COM A OPINIÃO DO NOSSO BLOG MENCIONANDO SALMO 33.12 " MAIS DO QUE FELIZ É A NAÇÃO QUE DEUS É O SENHOR", ENTÃO DIGO AOS AMIGOS LEITORES, QUE ESPERO E ORO QUE O SENHOR NOSSO DEUS CONTINUE SENDO LOUVADO NESTA NAÇÃO,
A Justiça Federal recebeu um pedido para que a expressão “Deus seja louvado” seja excluída das cédulas de reais. O pedido foi feito pela Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão (PRDC) em São Paulo que, em caráter liminar, pede que seja concedido à União o prazo de 120 dias para que as cédulas comecem a ser impressas sem a frase.

Como argumento principal da ação, a procuradoria argumenta que o Estado brasileiro é laico e, por isso, deve estar completamente desvinculado de qualquer manifestação religiosa. O pedido usa também o argumento de que a frase fere princípios como o da igualdade e o da não exclusão das minorias, ao ressaltar que a frase “Deus seja louvado” privilegiaria uma religião em detrimento das outras.

- O Estado brasileiro é laico e, portanto, deve estar completamente desvinculado de qualquer manifestação religiosa – cita a procuradoria, como um dos principais argumentos da ação, que pede ainda que a Justiça Federal que estipule multa diária de R$ 1,00 caso a União não cumpra a decisão.

Segundo informações do G1, o procurador regional dos Direitos do Cidadão, Jefferson Aparecido Dias, apesar de reconhecer que a maioria da população segue religiões de origem cristã (católicos e evangélicos), se fundamenta no argumento de que o país é um Estado laico para justificar o pedido.

- Imaginemos a cédula de real com as seguintes expressões: “Alá seja louvado”, “Buda seja louvado”, “Salve Oxóssi”, “Salve Lord Ganesha”, “Deus Não existe” – argumenta o procurador.

A ação causou reações entre líderes evangélicos, como o pastor e Deputado Federal Marco Feliciano, que afirmou que Dias é um ativista, lembrando processo movido pelo procurador contra o pastor Silas Malafaia.

FONTE: GOSPEL +

Total de visualizações de página