quinta-feira, 27 de junho de 2013

Bairro que receberá Papa Francisco no Rio de Janeiro é considerado reduto de evangélicos

A visita do Papa Francisco ao Brasil no mês de Julho desse ano será marcada pela presença do pontífice em um bairro considerado um dos redutos de evangélicos no Rio de Janeiro, que é também a cidade brasileira que tem o menor percentual de católicos do país, segundo dados do Censo de 2010,que aponta que o Rio de Janeiro tem apenas 45,8% de sua população declaradamente católica. De acordo com um estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Guaratiba, bairro da zona oeste do Rio de Janeiro (RJ) que receberá o papa católico Francisco em julho deste ano (2013), é um dos 11 bairros, onde a proporção de evangélicos é maior que a de católicos na capital carioca. Próximo ao Campus Fidei, na Estrada da Capoeira Grande, onde será celebrada a vigília e a missa papal, muitos pastores regem cultos em diversos templos que ocupam a região.

Encontro da Igreja Católica vai acontecer em região na qual 36,4% da população é protestante, segundo levantamento da prefeitura do Rio.

Quando o assunto é religião, Santa Cruz (bairro que será palco da JMJ – Jornada Mundial da Juventude) tem uma peculiaridade em relação ao resto do Rio de Janeiro. A região de planejamento a qual a área pertence é a única da cidade onde o número de evangélicos é maior do que o de católicos.

De acordo com O Globo, os protestantes são 36,4% dos moradores do bairro – enquanto católicos somam 32,7% do total. Os números foram levantados pelo Instituto Pereira Passos, órgão ligado à prefeitura do Rio. A proporção de evangélicos também é alta em outros bairros da cidade como Campo Grande (36,4%) e Pavuna (32,7%). Segundo o levantamento, o município registrou quedas no número de fiéis que seguem o papa entre 2000 e 2010.

Antes, os católicos eram 61,2% da população; Em 2010, eles totalizavam 51,6%. No mesmo período, evangélicos tradicionais (como luteranos e calvinistas) encolheram de 5,4% para 3,8% da população.

Vinculados a denominações como Assembleia de Deus e Igreja do Evangelho Quadrangular, os pentecostais subiram de 11,3% para 12,6%. Já os neopentecostais (ligados a igrejas como Mundial e Universal) eram 1% há 33 anos e hoje representam uma parcela sete vezes maior da população carioca.

Entretanto, a religiosidade anda mesmo em baixa no estado do Rio. Entre as 20 cidades menos religiosas do Brasil, duas são fluminenses. Situada na região metropolitana da capital, Japeri é a décima colocada.
Fonte: Seara News | Com informações de Veja, G1 e Exame


Total de visualizações de página