segunda-feira, 18 de maio de 2015

História das Assembleias de Deus no Estado do Espírito Santo


A história das Assembleias de Deus no Espírito Santo teve o ponto de partida quando os primeiros crentes pentecostais, Francisco Galdino Sobrinho e sua esposa chegaram à Vitória em 1922, dois anos depois, chegava em solo capixaba o missionário escandinavo Daniel Berg, que veio com o objetivo de fundar uma igreja evangélica em terras capixaba. O mesmo dirigiu os primeiros cultos na Rua Santo Antônio. Daniel Berg fazia um trabalho de evangelização, visitando as famílias durante o dia e convidando-as para o culto à noite. Depois de alguns meses, mesmo sem informações oficiais pelo seu trabalho, sabe-se que o missionário deixou uma base evangelística estabelecida. 

Em 1925, José Vicente Ferreira veio de Pernambuco para Vitória Espírito Santo, a pedido de Daniel Berg, que aqui esteve e preocupou-se com o pequeno número de cristãos aqui residiam. Ao chegar à Vitória só encontrou o irmão Galdino como crente pentecostal, os demais eram batistas. Com estes iniciou um trabalho de evangelização. Em 1927, chegaram à Vitória, precedentes da Assembleia de Deus em Aracaju, Sergipe, sete evangélicos que se juntaram aos demais iniciando assim um trabalho de evangelização pessoal, que resultou em conversão de várias almas. Havendo muitos novos convertidos que requeriam assistência espiritual e também a necessidade de se abrir uma igreja local, pois os irmãos estavam reunindo-se em residências em Jucutuquara, Santa Lúcia na casa do irmão João Pinheiro e na residência de irmã Francisca Barros. Foi então que o irmão José Vicente Ferreira escreveu a Daniel Berg, solicitando que lhes enviassem um pastor para por em ordem o trabalho. Atendendo ao pedido da Igreja foi enviado á cidade de Vitória no dia 09 de maio de 1930 o pastor João Pedro da Silva, data esta onde se reuniram mais de (30) trinta pessoas, entre crentes e simpatizantes do evangelho. 

Aos 34 anos de idade o Pastor João Pedro inicia um trabalho em solo capixaba munido de fé e de coragem, trabalho este iniciado do fruto da evangelização. Estabeleceram-se cultos, no centro da cidade, em Santo Antônio, Vila Rubim, Praça Costa Pereira e Aribiri, em Vila Velha. Celebrou-se então, o primeiro batismo em águas em 08 de junho de 1930, esta data foi estabelecida na obra ”Historia das Assembleias de Deus no Brasil” compilada por Emilio Conde, como inicio da obra pentecostal e data provável de fundação, sob a liderança de João Pedro da Silva. A Assembleia de Deus no Espírito Santo iniciou-se com os seguintes irmãos; Francisco Galdino Sobrinho, Leopoldina da Costa Sobrinho, João Toscano de Brito, Maria de Oliveira, Manoel Tibúrcio, Jose Martins, Antônio Gabriel, Francisco Faustino, Josefa Faustino, Maria Raimundo, Nair Raimundo, Joaquim Galdino, Pulcina da Conceição, Ibiapino Luiz e esposa, Candido Dias da Hora, Maria dos Anjos da Hora, Madalena dos Anjos Mota, Jose Mota, Maria Hora, Vitor Hora, Abraão e esposa, Adalberto Pacote, Aquino Deodoro, Jose Vicente Ferreira, Manoel Cocino, Fabiano e esposa, Jose Pedro, Antônio da Barra e esposa, Pedro da Silva e esposa, Francisco Santana e esposa, Maria Santana, Ormandina Silva e outros. Com a expansão do trabalho, organizou-se no bairro Santa Lucia, Jucutuquara, Pedreiras, Ataides, Areal e finalmente a sede, no bairro Aribiri, em Vila Velha-ES. A Igreja em Aribiri, era a sede de todo o ministério das Assembleias de Deus do Estado do Espírito Santo, e todas as igrejas que eram fundadas eram filiadas à AD do Aribiri, que foi inaugurada na Rua São Luiz, nº 211. 

A doutrina Pentecostal expandiu-se para o interior do estado. Em dezembro de 1933, ultrapassou a fronteira do Espírito Santo, quando uma congregação foi instalada no Vale da Anta Município de Resplendor-MG, de onde alcançou todo o Vale do Rio Doce/MG. Como Começou no sul do Estado Foi também no ano de 1933, que um irmão de Alto Limoeiro Distrito de Itaperuna, chamado Severiano Rodrigues de Souza, ao se hospedar numa pensão em Vitória, avistou de lá, um pequeno grupo de crentes pregando e cantando, num culto na praça Costa Pereira. Severiano que era Batista notou uma diferença na liturgia daquele culto, pois o mesmo nunca havia participado de um culto tão fervoroso, intercalado com brados de “Glorias a Deus e Aleluias” além do grande “barulho” de irmãos que falavam línguas desconhecidas. Severiano foi testemunha ocular das maravilhas que Deus operava como: curas divinas, batismo com o Espírito Santo e a manifestação dos Dons Espirituais. No final do culto, despediram-se com a Paz do Senhor e distribuíram o jornal “Mensageiro da Paz”. O jornal mais tarde foi levado para Itaperuna, e lido com muito interesse pelo dirigente da Congregação Batista, o irmão Camilo Peclat. Após viver uma profunda experiência de renovo espiritual, o mesmo começou a dar ênfase à doutrina pentecostal, e por isso foi afastado da igreja Batista. Tendo necessidade de apoio para a nova congregação pentecostal, foi a Vitória, juntamente com Severiano, a fim de conhecer melhor a Assembleia de Deus Pentecostal, como era chamado o trabalho na época, dirigido pelo pastor João Pedro da Silva que os recepcionou com uma calorosa acolhida. Tempos depois foram designados dirigentes da nova Congregação Pentecostal de Limoeiro. Assim ficou bem estabelecida a obra de Cristo na capital capixaba. Muitas conversões e batismos foram realizados. O relato foi enviado pelo pastor João Pedro e publicado no Mensageiro da Paz em 15 de Outubro de 1931; “No mês de junho, batizei nas águas 27 novos convertidos e em agosto, igual número”. Depois de tantas lutas pela evangelização, o pastor João Pedro da Silva cumprira a sua missão na terra. Era uma das últimas viagens pelo interior do Estado. Ao regressar da localidade de Una Grande, município de Santa Leopoldina, após a celebração de um culto. O mesmo foi acometido de pertinaz pneumonia, que o deixou agonizante durante 45 dias. Sem meios de cura, veio a falecer no dia 17 de maio de 1935, após cinco anos de dedicação e eficiência ministerial na obra do Senhor, deixando uma igreja com mais de 1.110 membros ativos no Estado. 

Após a morte do Pastor João Pedro da Silva houve substituições sucessivas pelos pastores: Joaquim Moreira Costa de Araújo, Tales Caldas, Eugenio de Oliveira, José Menezes. No ano de 1941, assumiu a direção da igreja o pastor Belarmino Pedro Ramos, sendo este o responsável pelo registro da igreja, dando-lhe personalidade jurídica, em outubro de 1943. 

Desde então o testemunho da obra Pentecostal alcançou outras cidades do interior do Estado, com excelentes resultados e Belarmino permaneceu até 08 de agosto de 1944. Cidades alcançadas FUNDÃO Movimento Pentecostal chegou no município de Fundão no ano de 1934. As boas novas foram introduzidas pelos próprios habitantes, que assistiram a um culto em Timbui, ficaram tão maravilhados que resolveram anunciar para a cidade a nova mensagem. Alguns meses depois já havia um bom número de interessados e mais tarde a pedido destes novos crentes, a igreja em Vitória enviou para Fundão, João Ferreira, com a responsabilidade de prestar assistência espiritual a esses novos convertidos. Em abril de 1938, os crentes edificaram um pequeno templo num terreno doado por Manoel Costa. O trabalho cresceu tanto que foi necessária a construção de um templo maior e melhor localizado. E no dia 06 de setembro de 1941, inaugurou-se o novo templo o primeiro templo sede, com a presença de Samuel Nystrom, Belarmino Pedro Ramos e Eugenio de Oliveira.

 A Assembleia de Deus em Fundão tornou-se um marco na evangelização das cidades do norte do Estado; João Neiva, Colatina, Linhares e Serra, através do pastor Antônio de Brito, Getúlio Pimentel Loureiro e Pastor Esmeraldo Gomes, que foram empossados em Fundão pelo Pastor Joaquim Moreira da Costa, conforme registrado em ata da época, datada de 08/12/35. CARIACICA Em 1936 na residência do irmão Francisco Santana iniciou-se a obra em Itacibá, no município de Cariacica-ES. A primeira congregação foi organizada ao lado dos prédios no bairro de Itanguá. O primeiro dirigente do pequeno salão foi Francisco Martins de Paula, conhecido como Chico Ovídio, indo mais tarde para a casa do irmão Rufino de Lima, e posteriormente para a Rua Manoel Joaquim dos Santos, em Itacibá. Pastor Manoel Souza Filho Quando se fala na AD em Itacibá, vem à lembrança, o saudoso pastor Manoel de Souza Filho. Batizado nas águas pelo pastor Joaquim Moreira, em 27 de outubro de 1938 e ordenado em 06/08/54, entrou para a história das Assembleias de Deus, como um dos fundadores da CADEESO. Seu registro na convenção era de nº 002. Era construtor e contribuiu na construção de vários templos das AD; Aribiri, São Torquato, Serra, Cachoeiro e Itacibá. Em março de 1964 foi designado para pastorear a AD em Itacibá. Naquela época, surgiam também no município de Cariacica as AD nos bairros de Campo Grande, Alto Lage, Santana de Cima, Porto de Santana, Flexal, Nova Brasília etc. Estas igrejas eram congregações da AD em Itacibá, sob a presidência do pastor Souza Filho. Foi também o fundador da obra social pastor João Pedro da Silva, título que homenageou o fundador da AD no Espírito Santo. Mais tarde a instituição tornou-se Escola de 1º e 2º Graus “João Pedro da Silva” existente em Porto de Santana. Formado em Filosofia, Historia e Teologia, exerceu a função de 1º vice-presidente da CADEESO, nos anos de 1966 a 1990. Pai de 23 filhos dedicou a sua vida inteira à família e à igreja, exercendo 64 anos de ministério, na conquista de almas para o Reino de Deus. Passou a estar com o Senhor no dia 15/02/2002. Outros registros da história Vale registrar ainda, os valorosos servos de Deus, que deram importante avanço a esta obra; pastores Eugenio Joaquim de Oliveira, Firmino, Tales Caldas, Jose Menezes, Waldomiro Martins Ferreira e outros. Waldomiro foi enviado pelo missionário Samuel Nystron para Vitória em 1940, quando ainda era solteiro. Ficou em Vitória por dois anos e foi transferido para Santo Aleixo RJ, pelo pastor Presidente da CGADB na época Cícero Canuto de Lima, que era também presidente da Assembleia de Deus em São Cristóvão RJ. Em 1942, o Pr. Waldomiro Martins Ferreira agora já casado com a irmã Camila Josefa de Aguiar, e com o primogênito Levi Aguiar de Jesus Ferreira, com um ano de idade, retornam a Assembleia de Deus em Aribiri para assumi-la no dia 31 de outubro de 1944. Em 1948 o pastor Waldomiro efetuou o mais arrojado programa de evangelização no estado do Espírito Santo e fundou em 18 de Outubro de 1959 ao lado de outros pastores a Convenção CADEESO – Convenção das Assembleias de Deus no Estado do Espírito Santo e outros, presidindo-a até 1970, quando foi jubilado. Naquela época, por algum tempo, assumiu em seu lugar o seu vice, Pastor Sebastião Davino dos Reis. O Pr. Waldomiro Martins Ferreira foi chamado às mansões celestiais no dia 25 de julho de 1975. Em 1970, mais precisamente no dia 12 de maio, assumiu a Assembleia de Deus no Aribiri o pastor Edmundo Alves de Oliveira, tendo como vice-presidente o pastor Oscar Domingos de Moura. 

Pastor Edmundo foi o responsável pela Construção do maior Templo da Assembleia de Deus no Estado, localizado na Av. Carlos Lindenberg, 1435, sobre isso ele disse: “Nós construímos e nunca fomos pesados a ninguém, todo mundo só fez exatamente o que podia, e assim fizemos a obra, eu fiz a obra porque Deus me deu companheiros, e unimos forças e fizemos. Eu tinha um chão na minha casa onde eu orava a Deus e Ele me honrou. Não estou mais na igreja do Aribiri mais o meu coração está alegre porque trabalhei e contribui e o meu coração está alegre também, porque a igreja está reunindo ali, e agradeço a Deus por isso”. E neste mesmo propósito de amor as almas, homens e mulheres foram surgindo no decorrer da história abraçando a obra do Mestre, respondendo o seu chamado, colocando as suas mãos no arado. “Quão formosos sobre os montes são os pés dos que anunciam boas novas, que proclamam a paz, que anunciam coisas boas, que faz ouvir a salvação, que diz a Sião: o teu Deus reina!” (Is 52.7). -

Total de visualizações de página