segunda-feira, 4 de maio de 2015

“Deus ouviu nossas preces”, diz mãe de filipina que escapou do fuzilamento na Indonésia



A filipina Mary Jane Veloso seria executada ao lado do brasileiro Rodrigo Gularte e dos demais condenados à morte por tráfico de drogas na Indonésia. No entanto, uma decisão de última hora das autoridades poupou sua vida, e agora sua família comemora o fato como um “milagre”.

As autoridades indonésias são conhecidas pela pouca atenção que dão aos apelos de clemência pela vida de condenados à morte. Mary Jane Veloso foi poupada devido ao surgimento de um novo fato em seu caso.

Presa em 2010, portando 2,5 kg de heroína, Veloso sempre alegou que havia sido enganada por pessoas em seu país, e que havia viajado à Indonésia atrás de emprego. Inicialmente, ela teria se dirigido à Malásia, onde seria o local de trabalho, mas chegando lá, foi informada que a vaga era na Indonésia e de lá mesmo viajou ao país.

Mary Jane Veloso alega que, nessa escala na Malásia, o pacote com drogas foi escondido em sua bagagem, sem que ela soubesse de nada. Durante cinco anos, mesmo condenada à morte, ela manteve essa versão.

Segundo o procurador-geral indonésio, Muhammad Prasetyo, disse que um homem se apresentou à Polícia nas Filipinas dizendo-se o antigo chefe de Veloso, e corroborou a história de que ela havia sido enganada. “Este atraso não cancela a execução. Queremos apenas dar uma chance ao andamento do processo legal nas Filipinas”, disse Prasetyo.

Veloso continua sentenciada à morte, mas o adiamento da execução pode fazer diferença entre a vida e a morte, pois novas evidências podem surgir e ser usadas para provar a inocência dela.



Para a mãe de Mary Jane Veloso, Célia, o que aconteceu foi sobrenatural: “Milagres podem se tornar realidade. Deus ouviu as nossas preces”, disse. “Estamos muito felizes. Os filhos dela estavam acordados e gritavam contentes: ‘Mamãe vai viver’”, relatou Célia, segundo informações do site alemão DW.

De acordo com Célia, Mary Jane tinha tranquilidade quanto à soberania divina: “Ela me falou: ‘Se Deus quiser que eu viva, eu vou viver, nem que seja por um fio, no último minuto’. E agora o que ela falou tornou-se realidade”, disse, revelando que outras filhas suas já estavam na Indonésia, preparando-se para levar o corpo da irmã de volta ao país.

Fonte: Gospel +

Total de visualizações de página