segunda-feira, 16 de março de 2015

Jean Wyllys se irrita com oração de padre e diz que católico deve orar para se livrar do inferno



O deputado federal e ativista gay Jean Wyllys (PSOL-RJ) foi convidado por um padre para assinar uma petição em defesa da família e, contrariado, disse para o sacerdote católico ir orar para evitar que fosse para o inferno.



O episódio inusitado aconteceu quando o padre Pedro Stepien coletava assinaturas em frente ao plenário da Câmara com o objetivo de pedir a criação uma frente parlamentar “a favor da vida e da família”, contra o aborto e o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Para o padre Stepien os defensores do aborto se colocam em contradição quando falam de direitos humanos: “É mais fácil salvar uma criança quando a mulher é violentada do que quando ela pula a cerca. Aborto é um crime hediondo em qualquer caso, é assassinato de criança que não tem advogado. A pessoa que é a favor do aborto não tem direito de falar de direitos humanos”, cravou.

Quando Wyllys passava pelo local, o padre o abordou pedindo a assinatura do parlamentar, e o ativista gay se recusou: “Não vou assinar, eu defendo outro tipo de família”, disse, segundo informações do jornal O Globo.


O padre, no entanto, disse aos jornalistas que já sabia que Wyllys não aceitaria assinar a petição, mas tentou mesmo assim: “Eu sabia e respeito, até rezo muito por esse deputado, sei que ele precisa”, comentou.

Os jornalistas procuraram Wyllys para comentar as declarações do padre, e o parlamentar disse que o líder religioso deveria se preocupar em salvar a própria pele: “Acho lamentável que esse padre fale em direitos humanos e apareça na porta do Congresso com crianças esquálidas segurando esses cartazes. Denunciei ele à polícia legislativa e avisei que o denunciaria ao conselho tutelar se continuasse explorando essas crianças. Dispenso as orações dele, ele deveria orar para si mesmo para tentar salvar a própria alma dele do inferno”, disse o ativista gay.


Fonte: Gospel +

Total de visualizações de página